TÁ NA MODA?

A arquitetura e o design de interiores, assim como a moda, seguem tendências, e todos os anos surge uma enxurrada de novas ideias.

Quando vemos revistas e assistimos a programas de arquitetura e decoração, muitas vezes acabamos nos encantando por inúmeras dessas tendências. Mas, afinal, como levá-las ao projeto?

É muito comum querermos reproduzir no nosso dia a dia o que vemos na TV ou na internet. Seria incrível se pudéssemos levar os cenários que vemos no Pinterest tal e qual para o nosso cotidiano.

Mas a coisa não é bem por aí.

Todas essas referências devem fazer parte de um grande leque de imagens que vão nortear o seu arquiteto e auxiliá-lo a entender um pouco melhor o seu gosto. Mas não necessariamente o que está na moda ou o que está sendo “mais usado” é coerente às suas necessidades e ao seu estilo de vida.

A cozinha americana, querida por quase todos nós, acredite, não serve para todas as casas. Móveis coloridos ou extremamente minimalistas também não. Um cooktop maravilhoso numa cozinha tipo ilha talvez não seja tão funcional para quem precisa cozinhar muito no dia a dia e que gosta de fazer frituras.

Se você tem filhos pequenos ou animais de estimação, então, será necessário muito cuidado na escolha dos móveis e dos revestimentos, até mesmo por uma questão de segurança.

E, ainda, existe uma outra possibilidade, que é a de que tendências diferentes podem, sim, ser misturadas, trazendo resultados incríveis que não imaginamos a princípio!

Mas há um equilíbrio que deve sempre ser levado em conta, principalmente em projetos residenciais. Diferentemente de projetos comerciais, que vão se modificando mais facilmente e conforme a necessidade, o projeto de uma residência, principalmente a partir de sua construção, pode durar décadas. Então, saber mesclar as tendências que são adequadas ao projeto hoje, com uma boa dose do que é, digamos, atemporal, é uma tarefa bastante complexa, para garantir que a casa de agora não "saia de moda" amanhã, e possa fazer seus moradores felizes por um bom tempo, ou por que não, por uma vida inteira.

Então, prepare sua pastinha, salve todas as fotos que você gostar, leia as revistas e assista aos programas, e leve tudo o que você puder para as reuniões com seu arquiteto. Inclusive todas as suas dúvidas e, principalmente, suas inseguranças.

É ele que vai saber te ajudar a entender o que vai funcionar - e o que não vai! - para o seu projeto e a entender exatamente qual é o seu estilo, particular e exclusivo. E na busca por esse equilíbrio necessário, pode até mesmo te surpreender com misturas que você nem imaginaria!